Arquivos
 12/02/2012 a 18/02/2012
 19/06/2011 a 25/06/2011
 20/02/2011 a 26/02/2011
 17/10/2010 a 23/10/2010
 25/07/2010 a 31/07/2010
 11/07/2010 a 17/07/2010
 28/02/2010 a 06/03/2010
 21/02/2010 a 27/02/2010
 24/01/2010 a 30/01/2010
 13/12/2009 a 19/12/2009
 25/10/2009 a 31/10/2009
 06/09/2009 a 12/09/2009
 30/08/2009 a 05/09/2009
 28/06/2009 a 04/07/2009
 29/03/2009 a 04/04/2009
 22/03/2009 a 28/03/2009
 15/03/2009 a 21/03/2009
 08/03/2009 a 14/03/2009
 01/03/2009 a 07/03/2009
 15/02/2009 a 21/02/2009
 09/03/2008 a 15/03/2008
 17/02/2008 a 23/02/2008

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




Blog de edith
 


CIENCIA, AMOR E POESIA

CIÊNCIA, AMOR E POESIA

 

         Quando em 2007  a divulgadora ciêntífica Gloria Kreinz e o poeta Marcelo Roque se conheceram, deu-se  a apaixonante idéia de fundir arte e ciência, fazer acreditar que a delicadeza da poesia é compativel  com a aparente aspereza dos dados ciêntíficos.

           Gloria Kreinz já tão conhecida não só pelos seus livros sobre divulgação científica como pelo seu trabalho no  Núcleo José Reis de Divulgação Científica da ECA/USP que dirige há mais de vinte anos  preparando alunos para a difícil arte de tornar acessivel ao público os difíceis conceitos científivos, tem usado os seus conhecimentos de comunicadora e amante da moderna técnologia fazendo divulgação de suas idéias também na internet. É sua a seguinte frase: "Vivemos em uma sociedade que fez da internet sua segunda lingua e não lutamos contra isso, mas mergulhamos também nesse universo virtual". E acrescenta: Acreditamos que a Ciência, o Amor e a Poesia não são categorias que se excluem, mas que convivem juntas em termos de comunicação, sobretudo em uma sociedade informatizada, quando há contínua ameaça e perda de indentidade pelas redes virtuais. E conclue: "Este livro que hoje chega a vocês é uma reflexão sobre a técnica. Mas é  a técnica pensada a favor do amor, da ciência e da poesia, portanto como contigente e relativa. Usamos a técnica, mas continuamos  procurando respostas, e lembra: "Quando o acelerador de partículas.LHC (Large Hadron Collider, na sigla em inglês )  construido pela organizacão Europeia para Pesquisa Nuclear ( Cern) em Genébra, na Suiça, com a colaboração de ciêntistas de mais de 180  institutos de pesquisas de diversos paises, funcionou , neste ano de 2010, tivemos uma poesia comemorativa do evento ciêntífico.

LHC

 

É no mais profundo silêncio do meu ser

  que sinto o choque entre meus versos

A velocidades inimagináveis

espalhando na vastidão de minha existência

flamejantes partículas de mim mesmo

Dentro as quais, encontro-me perdido

ora nos braços de deus

ora, sobre as asa do acaso

 

         É este homem fragmentado em sua concretude que tenta se recuperar no ciberespaço e nele reafirmar sua liberdade."

 

           Gloria Kreinz introduz , com muita oportunidade, a poesia da Marcelo Roque.

 

Liberta

 

Que seja minha poesia

Liberta das sombras do mundo

e fiel mensageira das coisas não ditas

Que desprese a tênue linha entre o bem e o mal,

e que não respeite  nada,

nem mesmo a vontade do poeta

E  que não sejam apaziguadores os seus versos,

posto que é a provocação quem alimenta a alma

E que finalmente por ser assim, livre,

venha a ser bela,

simplesmente bela;

voando acima da cabeça dos homens

e ao lado do coração das crianças

    

      Na  realidade o que se pode identificar da ligação da comunicadora com a poesia de Marcelo Roque  é que ambos, de maneira aparentemente diferente, tentam criar ilhas de comunicação  analisando linguagens, argumentos e fatos,  que são significativos  neste inicio de século lembrando que o saudoso José Reis já dizia que a Ciência é bonita e profundamente estética e que por isso deve ser exibida à sociedade e que Marcelo Gleiser, físico e divulgador, escreveu no dia 31 de maio de 2009 o artigo intitulado Beleza e  Verdade. E acrescenta também  que Einstein defendia o belo como critério de verdade em teorias ciêntíficas.

 

      Ao citar os nosso dois grandes divulgadores ciêntíficos Crodowaldo Pavan e José Reis, Gloria usa a poesia de Marcelo Roque não deixando esquecer que estes dois  homens  sempre perceberam a intrínseca  relação entre a beleza, a ciência e a natureza.

 

O Belo


José Reis já sabia

e também Pavan

que bela, sempre foi a flor

antes mesmo do olhar e do amor...

 

      Vamos terminar aqui com mais uma poesia de Marcelo Roque e a  recomendação de que leitura deste  livro é quasi obrigatoria para os que já estão engajados nos progressos das ultimas  pesquisas ciêntificas deste século.

 

Ciência

 

Finalmente, encontramos água em Marte e já podemos dizer às flores

que elas podem sonhar com as primavera marcianas...

Nas salas de cirurgias, mãos robotizadas e programadas por

computadores, ajudam a salvar vidas, em suas verdadeiras odisseias

 intracorporais

e enquanto isso, dentro dos vidros  nos laboratorios continuamos

expandindo ainda mais o amor, fazendo brotar dos troncos seculares...

os mais vermelhos corações

 

      BIBLIOGRAFIA:

      CIÊNCIA, AMOR E POESIA

      Gloria Kreinz

      Marcelo Roque

      Publicações ABRADIC

      Coleções Temas da Ciência Contemporânea

      Divulgação Científica na Sociedade Performática - 2004  Volume3 

        TEXTO de:

      Edith Cavalcanti

      Psicanalista

      Escola Brasileira de Psicanálise

      Ex aluna do Curso de Divulgação Ciêntífica do Nucleo José Reis  ECA USP


 

     




Escrito por edith às 21h09
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]